Você sabe como deve ser feito o descarte correto do lixo nas áreas urbanas? Há muitos detalhes para se levar em consideração já que cada tipo de material precisa de uma destinação específica. Entenda como separar corretamente esses materiais e o que fazer com cada um deles.

Sabemos bem que precisamos recolher nosso lixo e descartá-los no local correto. Mas você já parou para analisar a quantidade de coisa que jogamos fora diariamente? Papéis, embalagens plásticas, isopor, pilhas, restos de comida, lixo do banheiro, lâmpadas queimadas, medicamentos vencidos, aparelhos eletrônicos que não funcionam mais, garrafas de vidro, óleo de cozinha usado… Tantas coisas!

Nesse artigo você vai aprender a dar o destino correto para cada um desses itens, garantindo menores impactos ambientais.

 

Coleta Seletiva

O primeiro passo para o descarte correto do lixo é a coleta seletiva. Ela é feita de maneira bem básica com o lixo mais cotidiano da sua residência: basta separá-lo entre lixo seco (inorgânico) e lixo úmido (orgânico).

O lixo orgânico é aquele de origem animal ou vegetal, como os alimentos (cascas, restos de comida etc). Já o lixo seco tem origem industrial, como as embalagens (plástico, vidro etc).

A principal função da Coleta Seletiva é separar os materiais que podem ser reciclados para que sejam encaminhados aos Centros ou Cooperativas de Reciclagem. Então, para realizar a separação de maneira eficiente e garantir o descarte correto do lixo, separe todos os itens de plástico, vidro, papel ou metal e entregue para a Coleta Seletiva.

O lixo orgânico pode ser compostado por um minhocário e produzir adubo para seus vasos ou horta (saiba como fazer um lendo este artigo ou se preferir, compre um em nossa loja)

Vale lembrar que NÃO são recicláveis: papeis sujos com alimento ou dejetos, adesivos e fitas autocolantes, papéis metalizados ou plastificados, esponja de aço, lata de tinta ou combustível, tomada, isopor, espumas, espelhos, cristal, cerâmica e vidros temperados.

 

 

Lixo Eletrônico

equipamentos eletrônicos antigos
Os eletrônicos, além de possuirem resíduos tóxicos, podem ser reutilizados.

Entretanto, não descartamos apenas comidas e embalagens, não é mesmo? Um outro tipo de material que precisa de atenção é o lixo eletrônico, ou seja, aquele aparelho eletrônica que você não usa mais ou qualquer resíduo de equipamento eletrônico que precise ser descartado.

O descarte correto do lixo eletrônico deve ser separado. Existem Cooperativas que trabalham com a reciclagem de material eletrônico, informe-se sobre a existência de alguma delas na sua cidade! Aqui em São Carlos você pode levar seu lixo eletrônico (pilhas, baterias, celulares, fone quebrado, impressora velha, monitor, tomadas, lâmpadas etc) na Universidade de São Paulo (USP) ou na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) pois elas recolhem e reutilizam esses materiais, dando a destinação adequada. Você pode obter mais informações nos ecopontos de sua cidade.

 

Outros Tipos de Resíduo

garrafas pet com óleo usado
Oleo não deve ser jogado na pia. Ao invés de poluir, pode ser transformado em sabão.

Você deve se atentar, também, ao descarte de medicamentos e do óleo de cozinha usado. Nosso primeiro impulso é descartá-los junto com o material orgânico… mas estaríamos cometendo um grande erro!

Medicamentos vencidos devem ser levados de volta à farmácia ou à Unidade Básica de Saúde mais próxima. Se descartados de maneira incorreta, como lixo comum, podem trazer grandes prejuízos para o solo e a água.

Já o óleo de cozinha usado não deve nunca ser despejado na pia. Existem diversos pontos de coleta, inclusive em supermercados ou na própria prefeitura da cidade, para esse tipo de resíduo.

Outra opção é verificar se na sua cidade há alguém que reutilize o óleo, produzindo sabão por exemplo.

 

 

Mais informações

Se você quiser saber mais sobre como realizar o descarte correto do lixo ou quiser ver isso na prática, visite a Sede da Associação Veracidade!

Você também pode consultar o Guia de Leis e Diretrizes de Resíduos Sólidos para o município de São Carlos – SP que aborda o assunto.

Ficou com alguma dúvida? Deixe-a aqui nos comentários!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *